Cale-se




Em oito episódios, a série “Cale-se - A censura musical” revisita a produção musical brasileira perseguida pelos departamentos de censura durante a Ditadura Militar. Por meio de números musicais históricos ou produzidos para a série, conheceremos o repertório vetado pelos censores e suas motivações mais surpreendentes. Imagens da época e depoimentos de compositores censurados, artistas exilados, advogados, jornalistas e pesquisadores trazem à tona os bastidores da censura musical durante os anos de chumbo. A história do Brasil guarda um capítulo sombrio que começa com o Golpe Militar de 1964. É o fim da democracia, a revogação dos direitos constitucionais, a perseguição política, a repressão e a censura. Com a promulgação do AI-5, toda forma de comunicação passa a ser previamente aprovada por agentes do governo. A insatisfação com a falta de liberdade de expressão levou muitos compositores a protestar através das letras de suas músicas, muitas vezes de forma cifrada. A resposta vinha em forma de cortes, veto e até punição. Alguns foram presos, outros exilados, outros se auto-exilaram com medo do que estaria por vir. A tesoura da censura foi ficando cada vez mais afiada e cortava não apenas versos de protesto, mas também aqueles que, teoricamente, feriam valores morais, éticos ou religiosos. Qualquer frase podia ser interpretada pelos censores como contrária aos interesses do regime e a música vetada para reprodução em discos ou execução pública. Tanto a chamada MPB, com letras mais contundentes, quanto a música popular, com suas histórias de amor derramadas, e o Pop Rock, com sua irreverência, foram vítimas do aparelho repressivo montado pela ditadura. De Chico Buarque a Odair José, de Geraldo Vandré a Raul Seixas, todos sofreram com o cutelo vil da censura. A série “Cale-se - A censura musical no Brasil” traz à tona uma amostragem significativa desse repertório, contextualizado através das diferentes motivações de veto a canções produzidas em um dos períodos mais ricos da música brasileira. Em 8 episódios, a série revisita a música brasileira - agora sem cortes. A cada dois episódios, nomes como Jards Macalé, Ricardo Cravo Albin, Paulo Cesar Araujo, Leo Jaime, Joyce Moreno e Roberto Menescal revelam causos e histórias inacreditáveis daquele período.

Etapa/Nível de Ensino: Ensino Médio

Área de Ensino: Ciências Humanas, Linguagens

Componente Curricular/Disciplina: Arte, História, Língua Portuguesa, Sociologia

conteudo Criticas
conteudo Relatos de uso