Cadeira 9: A saudade imortal de um sol de estio


Disponível no:

Produção: Thaís Sleiman

Roteiro: Juliana Colares

Edição: Antonia Gama

Empresa(s) produtora(s): Giros Produção

Direção de produção: Cláudia Lima

Assistente de Câmera: Amaury Arboun (Paris)
Helio Leite

Pesquisa de Imagens: Remier Lion

Produção Executiva: Maria Carneiro da Cunha

Assistente de Produção: Ricardo Aquino

Assistente de edição: Felipe Gomes

Finalização: Ade Muri
Ilhabraw
Lucas Barrionovo

Pesquisa: Angélica Fontella
Bia Kling

Direção de Fotografia: Mário Franca

Consultoria: Luiz Dolino

Trilha Sonora: Rodrigo Lima

Entrevistados: Alberto Costa e Silva
Ivete Kist
Iza Quelhas
Lilia Schwarcz
Mario Luiz Frungillo

Assistente de som: Amaury Arboun (Paris)
Helio Leite

Coordenação de Produção: Cláudia Lima

Conteúdo: Lúcia Tupiassú

O episódio sobre a cadeira 9 da Academia Brasileira de Letras pega emprestado, como título, um verso de um poema que é presença vívida na memória de Alberto Costa e Silva, atual ocupante da poltrona. Escrito pelo pai dele, o poema intitulado.
Envie o seu comentário
Faça login ou se cadastre para comentar a obra.
Carregar mais comentários
Envie o seu comentário
Após aprovação, seu comentário será publicado e enviado para o diretor do filme. | Normas para publicação

Aplicabilidades Pedagógicas



Etapa/Nível de Ensino: Ensino Fundamental - Anos Finais, Ensino Médio

Área de Ensino: Linguagens

Componente Curricular/Disciplina: Língua Portuguesa


Relatos de Professores



Utilizou este filme em suas aulas? Relate sua experiência!


Relatos de Professores (0)

Testes de Conhecimentos


Você é Educador? Crie o primeiro teste de conhecimentos para este filme! Criar Teste

26 min
2017
Brasil
RJ
LIVRE

Séries: Imortais da Academia | 42 Episódios de 26 Minutos

Diretor: Belisário Franca

Sinopse: O episódio sobre a cadeira 9 da Academia Brasileira de Letras pega emprestado, como título, um verso de um poema que é presença vívida na memória de Alberto Costa e Silva, atual ocupante da poltrona. Escrito pelo pai dele, o poema intitulado.

Alugue